domingo, 25 de agosto de 2013

MUITO VENTO É VENTANIA







O vento que ora brinca
É leve como a poeira,
Feliz como um palhaço
Que pula e vibra
Como a bailarina
Que na ponta dos pés,
Consegue correr
E pular e saltitar
O vento que ora brinca
Levanta as folhas do chão
E a saia das meninas
Leva pra longe os coloridos balões
Transformando tudo
Em animadas brincadeiras
Eu quero correr como o vento
Leve e silencioso
Assoviando pra chamar a atenção
de todos que queiram brincar
Quando eu passar,
Leve como o vento,
Vou chamar-te pelo nome
Só precisa me escutar
Então, pulamos aquela cerca
E a outra cerca também
E vamos juntando amigos
Em toda cercania,
E seremos então, uma ventania...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho MUITO VENTO É VENTANIA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

domingo, 18 de agosto de 2013

ESCONDIDINHO







Quem nunca fez nada escondido?
Passar o dedo no creme do bolo
Roubar brigadeiro antes da festa
Sair na chuva quando ninguém vê,
Mandar um bilhete “secreto”, ou anônimo,
Olhar na prova do amigo,
quando não se sabe a matéria
Dormir com o som ligado, debaixo do travesseiro
Roubar um beijo,
Andar de bicicleta com o braço engessado
Adormecer sem tomar banho
Colocar o dedo no nariz
Enfiar o dedo na tomada
Riscar a parede, ou o sofá,
Tocar a campainha e sair correndo,
Espiar o buraco da fechadura de alguém
Chorar baixinho,
Soltar um pum
Tudo isso, todo mundo faz,
ou já fez um dia
Faz parte da infância
Faz parte da vida da gente
Enquanto somos crianças,
chamam a tudo isso de “arte”,
Só que, depois que crescemos,
Fica mais sério...
Simples assim!!!

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho ESCONDIDINHO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

domingo, 11 de agosto de 2013

PAI É MUITO !





Num lugar muito, muito distante,
Numa crença que aqui não impera
Diz-se que um filho,
é filho de seu próprio pai,
Mas, que este pai,
é filho de Deus (ou do seu criador)
Ser pai é um ato de amor !
Um ser em quem Deus (ou seu criador) confia...
Deus (ou seu criador) lhe permite,
lhe dá o direito de ser pai de um pequeno ser,
Confia a este, para cuidar, um filho seu.
Ser pai, é muito mais do que cuidar
Ser pai é amar, é educar,
É conduzir o pequeno ser, vida a fora
É ensinar o que é bom
É mostrar o que é ruim
Proteger, defender,
Ensinar a contornar, ou eliminar o mal
Conviver com todas as situações
Entendendo o que é melhor
Conhecer a todos, sem julgar
Deixar no mundo a sua história
Ser pai é pra sempre !
Enquanto vida houver...
E quando não mais houver,
Deus (ou seu criador) lhe questionará:
O que fez dos filhos que lhe confiei???

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho PAI É MUITO ! de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.


FELIZ DIA DOS PAIS, a TODOS aqueles que são VERDADEIROS PAIS... e a todas as mães (PÃES)... que foram mães e pais de seus filhos... PARABÉNS A TODOS !!!

domingo, 4 de agosto de 2013

A GRADE





O ferro da grade do portão
É o mesmo da cerca
O banco, lá do jardim
Foi colocado bem diante da praça
Entre a praça e o jardim, o banco
Sentado ali, sonhava de olhos abertos
Desejava brincar na praça
Como brincava no parque
Desejava sentir na praça,
O mesmo perfume das flores do jardim
E eu só via a grade,
Será que quando eu crescer,
Vendo uma grade igual,
Lembrarei do jardim, ou da praça?
Não sei, mas talvez, procure um banco,
pra sentar até decidir do que lembrar...

Vera Celms