domingo, 28 de abril de 2013

NEM TUDO É TUDO






Quando o sono vem,
Não precisa da cama para dormir,
Precisa de um lugar para encostar
Ainda que seja pra cair... de sono...

Quando a fome vem,
Não precisa de um restaurante
Precisa de algo pra comer
Ainda que seja pra colher... uma fruta...

Quando o medo, ou a aflição vem,
Não precisa de uma igreja pra rezar,
Precisa de um momento seu com o céu... (com a sua fé)
Ainda que seja pra pedir... para o seu Deus...
Seja ele quem for...

O maior oratório do mundo,
É o que vemos até pela janela ... (a natureza)

Vera Celms

domingo, 21 de abril de 2013

TIC TAC DO TEMPO





Pego aqui
Solto acolá
Corro atrás
Volto e pego de novo
Trinta tics,
Trinta tacs,
do relógio ...
o minuto passou
tão de repente
Solenemente tempo passado
Quem não dormiu
Não dorme mais
Quem não andou
Não anda mais
Porque o tempo passou de repente
E quem não viu o tempo passar
Não vai saber contar
Vim de não sei onde,
Vou não sei porquê...
Se um dia eu sair dessa terra,
Só os deuses me farão entender...
tic-tac do relógio
tic-tac sem parar
Se um dia eu parar de contar
Não vai ser por isso,
que o tempo vai parar...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho TIC TAC DO TEMPO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

domingo, 14 de abril de 2013

DE BOLA, DE CONDÃO





Carrinho e corda na mão
Futebol de bola e de botão
Andando com um gato e um cão
Medo, só de assombração

Gosta do campo e da escola
Muito cai e o joelho esfola
De bombacha e de espora
Saltita brincando mundo afora

Pula corda, arrasta o carrinho de mão
Futebol no campo e na escola
Se fantasma existisse teria medo não
Mas os espanta o barulho da espora

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho DE BOLA, DE CONDÃO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.